domingo, 9 de dezembro de 2007

a caminho de amanhã

todo o dia merece ser tirado do corpo
longa e compulsoriamente lavado
para que não haja dúvida
quanto a ele não ter culpa.
deveríamos ter arrumado a mala de hoje
sempre lá atrás;
o ontem grita,
e amanhã não chega jamais,
sempre vem, sempre vem.
todo o dia merece ser execrado,
depois homenageado.
em algum lugar dentro disso,
vivido.
não arrumei os papeis da bolsa,
nem limpei a geladeira,
mas tomo banho e lavo os cabelos de dentro
presente para a segunda-feira

Um comentário:

Fao disse...

legal, agora volto sempre